A primeira ida da criança à creche ou escola – Maria Clara Gayoso

A primeira ida da criança à creche ou escola - Maria Clara Gayoso

Todos os bebês precisam de atenção, segurança e bem-estar. Crianças que se sentem ameaçadas correm em busca do seu protetor/cuidador para o resgate. Esses momentos são os mais importantes na relação dos pais com a criança. O vínculo afetivo é fundamental para o desenvolvimento social, emocional, comportamental e cognitivo da criança.

Na primeira infância (até os 3 anos, aproximadamente), o momento da separação é delicado. De acordo com o grau de confiança que o bebê tem com os pais, o início da creche ou escolinha pode ser difícil. Existem bebês que se sentem ameaçados em ambientes sem o cuidador (pai, mãe ou responsável por cuidar da criança). Nesse caso, ao se sentir ameaçada, a criança entra em um nível de estresse elevado porque sente que não será resgatada. Isso acontece porque o cuidador tenta sanar absolutamente todas as demandas da criança.

No entanto, todo excesso gera consequência. É necessário que a criança se sinta protegida, mas também é necessário que ela consiga ser livre para aprender algumas coisas sozinha. Um exemplo disso são os primeiros meses de vida, que o bebê não tem forças ainda pra virar o corpinho. Alguns pais ficam aflitos com isso, e movem o corpinho da criança. Os bebês aprendem a se virar (ex: deitados de barriga pra cima, passam para a posição de bruços ou vice-versa) e essa conquista pode ser motivada pelo desejo de alcançar um brinquedo mais distante ou de ficar mais perto do cuidador. É fundamental que ele aprenda a fazer isso sozinho. Basta que a criança se sinta protegida pra passar por esse processo. É diferente de simplesmente sanar a demanda. O cuidador pode incentivar o bebê brincando com ele, aplaudindo quando ele conseguir se virar, comemorando a conquista.

Esse é só um dos exemplos de como os pais podem oferecer segurança, cuidado e bem-estar, sem se exceder na questão do apego.

Nos primeiros dias da escolinha/creche, é natural que a criança fique com medo. Entretanto, ele pode ser pior quando ela sente que os pais também estão aflitos. Por isso, é fundamental que os pais passem muita confiança aos filhos. Uma dica é conversar com a professora da creche, com a criança no colo ou por perto, e que sorria nessa conversa. A criança começa a sentir que aquela “pessoa estranha” pode ser confiável também.

Quanto mais leve for esse início, mais fácil para a criança entender que outras pessoas podem cuidar dela também. O que é exatamente o objetivo da creche e da escolinha: oferecer atenção, segurança e bem-estar! Com o plus da Educação! 🙂

share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mensagem enviada com sucesso!



Atividades FísicasCursosConsultasConvêniosOutros

[recaptcha]