Cigarro e gravidez: uma mistura que não combina!

Cigarro e gravidez: uma mistura que não combina!

Neste sábado (29), é comemorado o Dia Nacional de Combate ao Fumo. A data tem como objetivo conscientizar a população sobre as consequências provocadas pelo tabaco. Em 2017, uma pesquisa do Instituto Nacional do Câncer (INCA) apontou que mais de 156 mil mortes poderiam ser evitadas anualmente se o cigarro fosse evitado.

Durante a gravidez, o tabagismo é totalmente contraindicado. Os efeitos do monóxido de carbono e da nicotina trazem sérios riscos para a saúde da mãe e do bebê, podendo dificultar o parto e o desenvolvimento do feto. Entre os malefícios, estão o desprendimento prematuro da placenta, diminuição do fluxo sanguíneo da placenta, aborto espontâneo, retardo do crescimento, alterações neurológicas e malformações congênitas, além da morte súbita do bebê e aborto espontâneo.

Se a mulher é fumante e descobre que está grávida, é preciso parar imediatamente com o cigarro e avisar ao obstetra sobre o histórico de fumante. Já aquelas que estão se programando para engravidar, o ideal é deixar o vício de lado por um tempo. E vale lembrar: o tabagismo interfere na fertilidade feminina e masculina!

O cigarro também deve ser evitado no período de amamentação, já que as substâncias tóxicas são transmitidas para o bebê por meio do leite materno. Além disso, o tabaco reduz o volume de leite produzido e afeta a produção dos seus nutrientes, diminuindo a qualidade do alimento, deixando de ser a melhor fonte de nutrição para o bebê.

É a saúde do seu filho que está em risco. Faça o pré-natal corretamente e cuide-se!

 https://www.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/45488-apenas-9-3-dos-brasileiros-ainda-tem-o-habito-de-fumar#:~:text=No%20Brasil%2C%20o%20Instituto%20Nacional,homens%20e%2012.530%20em%20mulheres.

share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mensagem enviada com sucesso!



Atividades FísicasCursosConsultasConvêniosOutros

[recaptcha]