Fisioterapia Obstétrica: saiba os benefícios antes, durante e após o parto

Fisioterapia Obstétrica: saiba os benefícios antes, durante e após o parto

Durante a gestação, o corpo da mulher passa por diversas mudanças corporais para acomodar o bebê em crescimento. Essa fase pode gerar incômodos que são considerados normais, como dores nas costas, inchaço nos braços e pernas e vontade frequente de urinar. Para amenizar ou até prevenir esses sintomas, a fisioterapia obstétrica é uma boa opção.

Segundo a fisioterapeuta Dalila Faleiro, que atende aqui no Centro Integrado Bella, a fisioterapia prepara o assoalho pélvico e o corpo da mulher como um todo para todas as adaptações da gravidez, além de facilitar o parto de forma natural. Outros benefícios são:

• Reduz os desconfortos intestinais e tensões musculares

• Fortalece os músculos do assoalho pélvico

• Melhora a percepção corporal e o controle respiratório

• Diminui as chances de lesão perineal em partos normais

• Auxilia no controle da ansiedade

No geral, a atividade não tem contraindicações e as gestantes podem começar a fazer assim que o obstetra liberar. Já para as mamães que desejam ter um parto normal, Dalila aconselha que a fisioterapia seja iniciada com até 30 semanas, para ter um tempo hábil de melhorar a qualidade da musculatura do assoalho pélvico.

Os exercícios podem ser iniciados a partir do primeiro trimestre da gestação e são focados no controle da respiração e na regularização da postura. A partir do segundo trimestre, quando o risco de um aborto espontâneo diminui, as sessões são focadas também em mobilizações pélvicas, alongamentos e fortalecimento da região do abdome e do períneo.

Pós-parto

Após o parto, o fortalecimento do assoalho pélvico ainda continua sendo importante. Caso a mamãe tenha optado pela cesárea, a atividade agiliza a melhora da cicatrização e recuperação da parede abdominal. Além disso, é preciso fortalecer o corpo da mulher de forma global para evitar o risco de lesão com a normalização da rotina.

Dalila lembra que, por conta do crescimento da barriga, a separação dos músculos retos abdominais, mais conhecido como diástase, é algo difícil de ser evitado, porém, uma boa percepção corporal e correta ativação da musculatura abdominal ajudará no rápido retorno desses músculos após a gravidez. Esse distanciamento, se for pequeno, pode ser corrigido com exercícios hipopressivos (técnica de movimentos rítmicos e posturais), por exemplo.

Aqui no Centro Integrado Bella, as avaliações com a Dalila Faleiro podem ser marcadas pelos telefones 2530-4779/2537-8980.
share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mensagem enviada com sucesso!



Atividades FísicasCursosConsultasConvêniosOutros

[recaptcha]