Reposição hormonal e o câncer de mama – por Dra. Isabella Tartari

Reposição hormonal e o câncer de mama  - por Dra. Isabella Tartari

Muitas pacientes chegam no consultório com medo de fazer a reposição hormonal e, futuramente, vir a ter câncer de mama. A “câncerofobia” acaba fazendo com que a mulher prefira ter uma qualidade de vida pior, com todos os sintomas conhecidos da fase, como calores extremos, alterações no humor, ressecamento vaginal e diminuição na libido, do que fazer o tratamento.

Hoje em dia, a reposição hormonal é segura e deve ser feita de forma individualizada. Quando eu falo em segurança, digo que eu e praticamente todos os meus colegas receitamos hormônios bioidênticos, que possuem exatamente a mesma estrutura química e molecular encontrada nos hormônios produzidos no corpo humano. Na lista, estão a progesterona, o estrogênio e a testosterona, entre outros. A aplicação via transdérmica vem sendo bastante indicada pelos ginecologistas, já que não tem passagem hepática, como a oral. 

Agora, o tratamento tem sim as suas contraindicações absolutas. Estão no grupo mulheres com:

  • Câncer de mama e endométrio, pois eles são classificados como “hormônio dependente”;
  • Taxas da pressão arterial e da glicose alteradas;
  • Tromboembolismo agudo ou recorrente; e
  • Infarto do miocárdio

No entanto, quem está com a diabetes ou pressão arterial controlada, pode fazer a reposição. Vale lembrar que o tratamento deve ser acompanhado por um ginecologista. Converse com o seu médico!

 

share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mensagem enviada com sucesso!



Atividades FísicasCursosConsultasConvêniosOutros

[recaptcha]